fbpx
Açúcar engorda? Saiba como eliminar o açúcar da sua vida
Será que é possível eliminar o açúcar da sua vida? Para deixar algo mais saboroso, basta adicionar sacarose, vulgo açúcar. A indústria alimentícia usa dessa artimanha para deixar os seus produtos mais palatáveis e viciantes. Hoje em dia há açúcar em praticamente todos os tipos de alimentos, quer um exemplo? Você sabia que tem açúcar no seu hambúrguer e no ketchup?  Isso mesmo, tem açúcar na carne, veja isso.
O açúcar está presente nas mais diversas comidas industrializadas e até na comida de bebês.  Desta forma, desde bem cedo, a criança entra em contato com o sabor doce. E com isso, a cada dia se torna mais dependente do açúcar, do sabor doce. O paladar se adapta muito rapidamente ao doce. Por isso a dificuldade em eliminar o açúcar de nossas vidas.
Neste texto eu vou te ensinar como eliminar o açúcar da sua vida de uma vez por todas.

Quanto de açúcar usar por dia?

Na minha opinião a resposta seria, zero! Tá, calma aí, eu sugiro nada de açúcar adicionado, ou seja, aquele que nós colocamos nos alimentos. Não usar nada de açúcar adicionado, no seu dia a dia seria a saída para a prevenção de inúmeras doenças. E com toda certeza as pessoas seriam mais saudáveis e mais magras.
Porém a sacarose presente naturalmente nos alimentos, como mel, cana de açúcar, beterraba e frutas por exemplo, podem ser consumidos. Porém sempre tendo o cuidado de não exagerar. Talvez algo em torno de 10 a 30g de sacarose “natural” ao dia, para as pessoas saudáveis e magras, não vai fazer mal. Talvez um pouco mais até 50 gramas ao dia, vinda dos alimentos naturais, para pessoas saudáveis, magras e ativas, não tenha impacto metabólico. Agora se você tiver alguma patologia metabólica, como diabetes, esteatose hepática, triglicérides alto, ácido úrico alto, ou ainda esteja obesa, sugiro cuidado inclusive com a sacarose presente nos alimentos naturais.
A grande questão, é que ao iniciar o uso do açúcar, mesmo em pequena quantidade, você corre o risco de aumentar a quantidade com o passar dos dias, dos meses e dos anos. Pois o açúcar por ser altamente palatável, por deixar os alimentos mais saborosos, se torna extremamente viciantes para a grande maioria das pessoas.
O Brasil é o quarto país do mundo que mais consume açúcar. Estamos atrás somente dos Estados Unidos, da Índia, da União Europeia e da China.
O Ministério da Saúde (MS) em 2.018 assinou um termo de compromisso para diminuir o açúcar dos alimentos industrializados. A meta de diminuição deve ser cumprida até 2.022. Já os os Estados Unidos diminuíram as restrições ao colesterol dietético e passaram a orientar as pessoas a cortar o açúcar, principalmente os açúcares adicionados.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza que o consumo diário de açúcar não ultrapasse 10% do total diário de calorias. Considerando uma dieta básica de 2.000 calorias a quantidade de açúcar não deveria ser maior que 50 gramas de açúcar por dia, o que equivale a cerca de 10 colheres de chá. Porém quanto menos açúcar as pessoas consumirem melhor. Pois é um produto cheio de calorias vazias, ou seja, sem nutrientes.
Desta forma, seria interessante diminuir ainda mais a quantidade de açúcar consumido ao dia. Enquanto não conseguimos eliminar o açúcar totalmente, diminuir para 5% do total diário de calorias, o que equivale a 25 gramas ou 5 colheres de chá, já seria bastante saudável. Aqui gostaria de destacar que essa recomendação engloba tanto o açúcar que as pessoas usam em casa como aqueles usados pela indústria. E ainda, aqueles presentes em alimentos como o mel e suco de frutas, por exemplo.
Contudo, apesar de todo o conhecimento e informação presentes hoje em dia, o brasileiro consome em média 80 a 100g de açúcar diariamente. Quase o dobro da recomendação que já é alta. Em 1.822 o consumo médio era algo em torno de 5 gramas ao dia. Hoje várias pessoas consomem facilmente mais de 600 a 700 gramas por dia.

Açúcares ocultos, a grande armadilha

O açúcar que usamos em casa pode ser facilmente retirado de nossa rotina. Isso porque é você quem o adiciona em suas bebidas ou preparações, então você sabe onde ele está e em que quantidade. Inclusive, sabendo identificar alimentos que possuem sacarose em sua composição como o mel, cana de açúcar, beterraba, frutas etc., você pode fazer opções mais saudáveis.
Agora quanto aos alimentos industrializados, já é outra história. Muitas vezes eles vem “ocultos”, ou melhor, eles estão com nomes diferentes que nem desconfiamos que é açúcar.
Então, aprender a ler corretamente os rótulos é de fundamental importância para que você não cai nas artimanhas da indústria alimentícia. Por isso fiz uma aula bem detalhada sobre esse assunto, para os meus alunos do Programa Emagrecer Transforma.

Fomos enganados

Ao longo do tempo fomos bombardeados pela mídia, mídia essa paga por grandes empresas alimentícias, sobre como a gordura saturada era prejudicial. E que nosso maior inimigo na alimentação seria a gordura saturada. Fomos aos poucos sendo doutrinados para acreditar nisso. Fomos enganados!
E desta forma acreditamos que aquilo que está presente naturalmente em alguns alimentos faz mal. Mas aquilo que é criado em alguma máquina, aquilo em que se adiciona vários corantes, conservantes e açucares com nomes diferentes seria a melhor comida.
Como podemos ser tão ingênuos assim! Eu me preocupo com isso, pois da mesma forma que caímos em mentiras como essa, caímos em várias outras. Inclusive quando me dizem assim “um artigo científico mostrou que…”,  ou uma “pesquisa mostrou que…”, eu já fico com o pé atrás. Pois já sabemos que muitos artigos e pesquisas, são na verdade pagos e patrocinados por aqueles que vendem determinados produtos tidos como saudáveis. Tá, ok, eu sei que não são todos, pois tem muita gente séria realizando pesquisas para disponibilizar para o público em geral o conhecimento e informações corretas.
Bem, com isso, com essa desinformação em massa, várias orientações para o emagrecimento saudável, e também para o tratamento de várias doenças que tem como base etiológica, que tem na base da causa o açúcar foram só aumentando. Assim passamos a ter o tais “alimentos saudáveis consumidos em grande escala”, mas junto a isso, explodiu os casos de diabetes e outras doenças metabólicas no mundo todo. A obesidade vem crescendo assustadoramente. Várias outras doenças crônico metabólicas e cardiovasculares tiveram um aumento sem precedentes.
E muitos tem a cara de pau de falar que hoje temos tratamento. E que nunca tivemos tantos recursos terapêuticos como hoje. Mas veja, eu tenho certeza que você não quer adoecer e depois ficar tomando sacolas de medicamentos, não é? Então não seria muito melhor não ter tais doenças e não precisar de tais tratamentos?

As consequências por trás do consumo do açúcar

Vou citar aqui duas situações, duas doenças que estão intimamente relacionadas com a qualidade de sua alimentação. A primeira é a obesidade, isso mesmo, obesidade é uma doença metabólica, e a outra o diabetes. Existem várias outras doenças, mas falamos disso depois. O que eu quero que vocês entendam, é que se você estivesse comendo a gordura saturada das carnes e dos laticínios, por exemplo, seria muito mais saudável, do que você comer dia após dia, alimentos repletos de açúcar.
Mas preste atenção, quando falo de açúcar estou me referindo ao açúcar acrescentado em determinado alimento. Digo isso porque por exemplo, uma fruta tem açúcar, tem sacarose, uma beterraba tem açúcar, e o alimento “in natura” não é prejudicial à saúde.  Lógico que tem o fator quantidade na equação, porém com comida de verdade é muito mais difícil você extrapolar nas calorias diárias. Pois estes alimentos são naturalmente mais sacietógenos. É muito mais fácil você comer uma rosca inteira com margarina, do que comer 1 quilo de picanha, ou 1 quilo de salada. É muito mais fácil você tomar meio litro de suco de caixinha do que comer com o bagaço 5 laranjas. Entendeu?
E se formos falar nas orientações dietéticas para tratamento da obesidade, veremos que a espinha dorsal de tal orientação se baseia em restringir ao máximo a gordura saturada, e comer em contra partida alimentos diet, light, e vários carboidratos refinados ou não. E agora ainda temos os tais produtos “fit” ou “zero alguma coisa”. E com tudo isso que nos dizem ser saudável, a obesidade e suas complicações só aumentam.
Ah! Mas dizem que é a quantidade que comemos não é? Ok, a quantidade é um fator sim, comer em excesso comida de qualidade é prejudicial e também leva a obesidade e suas complicações. Mas não menos verdadeiro, é comer pouca comida de qualidade duvidosa, e também levar a todos esses problemas, e aqui com um agravante. É muito mais fácil você comer estes alimentos de qualidade ruim, mas altamente palatáveis. Então agora além da quantidade temos aí o fator qualidade. Viu como só com isso seus problemas duplicaram?
É muito comum você entrar no consultório de médicos e nutricionistas e sair com aquela dieta já impressa e várias orientações do tipo “não coma carne com gordura“, mas “coma bolacha fit”.
E meados da década de 80 começaram a sair as primeiras diretrizes dietéticas de vários países. E quando começam com esse papo de diretrizes e protocolos eu me arrepio. Na minha opinião não dá para protocolizar o ser humano. Então, com tais diretrizes fomos instruídos a comer alguns grupos de alimentos e diminuir ao máximo e deixar de consumir outros. Criaram então a tal pirâmide alimentar, com sua base repleta de carboidratos de pouca qualidade.
E os vilões de todas as diretrizes alimentares era a gordura saturada e colesterol. E dessa forma, passamos a trocar ovos e bifes por massas, laticínio integra por iogurte sem gordura, e por aí vai. Engraçado que aquilo que está naturalmente no alimento não pode mais comer porque faz mal. Que coisa engraçada, então porque estaria no alimento natural, seria uma armadilha para nós seres humanos? Como será que chegamos aqui sem as regras de alimentação, não é?
E o que me causa mais espanto é que ninguém ficou realmente mais saudável com as tais diretrizes e orientações dadas por experts. Muito pelo contrário, os números de pessoas doentes dispararam, juntamente com o aumento nas prateleiras dos supermercados dos alimentos com baixo teor de gordura e colesterol. E engolimos isso. E a grande maioria das pessoas continuam acreditando nisso, inclusive profissionais de saúde. É, estamos realmente distraídos. Pois nem aqueles que estudam para poder ajudar, enxergaram tais discrepâncias. Bem, se não é distração é interesse, penso eu!
Assim alimentos naturais não podem, mas alimentos promovidos a “saudáveis”, cheios de açúcar, conservantes, corantes, refinados e ultra processados devem ser consumidos. Pense nisso!

Mas só o açúcar é realmente o culpado?

Veja, na busca por uma dieta mais saudável, substituímos as gorduras naturalmente presentes nos alimentos por carboidratos refinados. Começamos também a dar preferência pelos carboidratos adicionados, ao invés de nos alimentarmos com os carboidratos naturalmente presente nos alimentos.
Então, quando falo que o açúcar é o culpado, estou me referindo ao açúcar adicionado aos alimentos. Seja como aquele açúcar refinado que você adiciona no cafezinho, seja os açucares adicionados nos produtos industrializados e ultra processados. Estes açucares que são os verdadeiros culpados pelo aumento repentino do açúcar na dieta.
O açúcar é barato, melhora muito o sabor, e desta forma tornam os alimentos altamente palatáveis, ou seja, saborosos. E isso é extremamente viciante, já que este tipo de açúcar libera muito rapidamente substâncias em nosso corpo, que atuam no cérebro em áreas relacionadas ao prazer. E por isso, em um mundo extremamente agitado e ansioso, consumir alimentos assim, se torna prazeroso para nosso cérebro. Alivia as tensões, entende?

O doce perigo do açúcar

Com o passar do tempo, com as orientações dietéticas oficiais já difundidas, e sendo aplicadas aos quatro cantos do mundo, e com a obesidade e suas complicações só crescendo, algumas pessoas começaram a se despertar. Estas pessoas começaram a questionar e assim outras pessoas se juntaram nesse questionamento, e outras, e outras, e outras.
E desta forma, hoje temos milhares de profissionais da área de saúde questionando as orientações oficiais. Além do que, estes profissionais começaram a provar através de estudos sem conflito de interesses que o verdadeiro perigo está no açúcar, principalmente no açúcar adicionado.
E assim, chegaram a conclusão que o açúcar sim parece ser o componente mais perigoso da nossa alimentação. A grande questão agora é como diminuir o consumo e até eliminar o açúcar, primeiro porque apenas pequena parcela da população já sabe que o problema está nos açucares e farináceos refinados. A grande maioria ainda acha que é a “gordurinha” da carne que faz mal. Em segundo, como estes alimentos são extremamente viciantes, é muito difícil retirá-los por completo da rotina alimentar das pessoas.
E temos aí um outro agravante. Como estas pessoas que consomem açúcar em grande quantidade tem por hábito estocar este tipo de alimento em casa, seus filhos acabam por entrarem nesse ciclo vicioso. Realmente é um desafio fazer com que estas pessoas entendam que precisam parar com o alto consumo de açúcar. E ainda muito mais importante, não devem oferecer tais  produtos as crianças. É inadmissível uma mãe oferecer doces, bolachas, salgadinhos e refrigerantes para seus filhos. Eu vejo constantemente, crianças de colo tomando refrigerantes e comendo estes produtos. Isso chega a ser uma irresponsabilidade.

Quer melhorar sua alimentação? Não radicalize!

Eu sei como é, quase impossível, fazer mudanças drásticas nos hábitos alimentares. E ainda mais difícil é manter a nova rotina alimentar a longo prazo. E justamente por isso, eu nunca oriento ou sugiro retirar abruptamente o açúcar e os farináceos. No Programa Emagrecer Transforma on-line, a sugestão é que semana a semana seja ajustado a quantidade e qualidade. E depois ainda há um período onde alguns dias são mais liberais e existem exceções pontais, onde as pessoas podem comer determinados alimentos.
Depois de 20 anos atendendo as mais diversas pessoas conclui que excluir radicalmente é estar a um passo do fracasso. Eu prefiro ver de uma forma realista todo esse problema e assim poder ajudar de verdade. Eu não quero apenas emagrecer meu paciente ou aluno, eu quero que ele aprenda como fazer isso. Então, implementar uma mudança de uma forma administrável para eles é a chave para o emagrecimento e principalmente a manutenção do emagrecimento a longo prazo.
Então, inicialmente ajudo a todos entenderem o que são os carboidratos. Que a sacarose, o açúcar de mesa, seja refinado, cristal, demerara, ou qualquer tipo de açúcar é um carboidrato. Depois explico que as frutas, por exemplo, e outros alimentos como o mel, a beterraba, a cana de açúcar tem sacarose, ou seja, tem açúcar.
Após entenderem isso, explico que geralmente a sacarose presente nos alimentos naturais não é o problema. Mas já o açúcar refinado, aquele açúcar adicionado tanto por nós como pela indústria alimentícia, seja no cafezinho ou no hambúrguer, seja em um alimento feito em casa ou na padaria, esse sim é o grande vilão.
Porém, já de antemão decidimos em conjunto o que fazer para diminuir a quantidade consumida deste açúcar adicionado. E desta forma vamos diminuindo e ajustando a quantidade ao longo do tempo. Pois é certo que a própria pessoa, ao ajustar seu paladar, naturalmente vai querer alimentos menos doces. Engraçado que isso é real, as pessoas não mudam o paladar completamente, ou seja, quem tem paladar doce, ainda permanece com o paladar doce. Porém, agora com um paladar menos doce, entende? É aquilo de querer um doce menos doce.
Agora, aqui tem um detalhe importante. Caso a pessoa, por exemplo, tenha alguma doença metabólica, e aqui vou citar o diabetes, mesmo os carboidratos presentes nos alimentos naturais devem ser consumidos com muito cuidado. Eu gostaria que você entendesse que nestes casos, já temos um problema na metabolização de qualquer tipo de carboidrato. Então, a conduta alimentar e terapêutica é diferente.
Então, se você precisa cuidar dos níveis de açúcar no sangue ou se você está com resistência insulínica, ou se seu triglicérides está alto, ou ainda várias outras patologias metabólicas, cuidado com todos os carboidratos, inclusive os presentes naturalmente nos alimentos.

Por onde começar a eliminar o açúcar da sua vida?

Agora que você sabe que o açúcar está presente em diversos alimentos, mesmo que de forma mascarada, e já sabe que ele faz mais mal do que bem, veja que dá para tomar uma atitude e reverter estes males.

1- Seja honesta!

Eu vejo frequentemente as pessoas sendo desonestas com elas próprias. Vejo pessoas com uma conduta de extrema honestidade com terceiros, entretanto, quando se diz respeito a auto honestidade, deixam muito a desejar. Devemos ser honestos com as pessoas, lógico, isso é virtude. Entretanto ser honesto com nós mesmos, nos faz amadurecer, nos faz desenvolver, nos faz ser melhores, nos faz vencer.
Dito isso, se você quer realmente vencer a obesidade seja honesta consigo. Não esconda os deslizes, não esconda os alimentos que você tem em casa e que contem açúcar. Seja honesta em aceitar que você consome muito do que não deveria. Seja honesta em aceitar suas fraquezas e as encare de frente. Não é se enganando que você vencerá. Pois a luta é contra ninguém menos que você.
Então dê uma olhada honesta na sua dieta. Preste muita atenção onde tem açúcar explícito e onde tem açúcar oculto. E para isso, é preciso passar um pente fino na sua alimentação.

2- Faça uma vistoria

Se você realmente quer se livrar do açúcar, você deve começar fazendo uma vistoria geral em sua alimentação. Sugiro a você passar um pente fino na sua dispensa e nos seus armários. E se livrar de todos os alimentos que contenham açúcar em sua composição.
E porque eu digo, se livrar?
Simplesmente porque, se você não tiver esses produtos em casa, é bem provável que você não vá consumi-los com frequência.
Eu já tive vários pacientes que quando batia aquela vontade de comer algum doce, eles até saiam de casa para comprar. Porém até chegar ao supermercado, a padaria ou qualquer ou local onde eles pudessem comprar alimentos doces, eles já tinham pensado melhor, já tinham desistido. E isso é muito comum de acontecer.
Sabe aquela máxima “não responda nada, ou não faça nada antes de dormir”? É isso. Dê um tempo para a razão, para que sua consciência, converse consigo mesma. Tenha certeza, após uma conversa honesta com sua consciência, que você irá tomar a melhor decisão. E no contexto de emagrecimento e saúde, a melhor decisão é não consumir açúcar.
Agora, se você deixar os alimentos doces, alguns metros de você, tenha certeza que quando der aquela vontade, você vai comer. Pois você não terá tempo de ter uma conversa sincera e honesta com você mesmo.
Então livre-se de alimentos que contenham açúcar.  Não compre esse tipo de alimento, nem para as outras pessoas que moram na sua casa. Faça um trato com eles, e peça a eles que se quiserem algo do tipo, que comprem e comam fora de casa.
Você verá que até sua família, vai aos poucos se livrando do hábito de comer alimentos cheios de açúcar.

3- Faça trocas inteligentes e saudáveis

Aprenda sobre substituições, ou seja, qual alimento é saudável e pode te ajudar quando bate aquela vontade de comer algo com sabor doce.
Outra coisa não menos importante, comece substituindo aquilo que é mais fácil para você e sua família. Sair trocando tudo de uma vez é um grande erro. O ideal, principalmente se você quer que sua família te acompanhe nesse processo de emagrecimento e saúde, vá fazendo trocas semana a semana. Quando você menos esperar todos estarão comendo de forma mais saudável e nem perceberão. Aliás, vão perceber quando olharem no espelho, ou ainda quando conseguirem abotoar aquela calça que vive aberta e presa apenas pelo cinto.
Veja, ao invés de comer chocolate ao leite, tenha em casa chocolates 70% de cacau ou mais, tipo 85% por exemplo. Tenha sempre frutas em sua fruteira, elas naturalmente tem sabor adocicado, o que pode te ajudar. Além disso são repletas de vitaminas e fitonutrientes.
Prefira sucos naturais, mesmo que à principio de frutas mais calóricas como a laranja, ao invés de sucos de caixinha, que são repletos de açúcar. Refrigerantes não são uma boa escolha, mas cá entre nós, sabemos que vez ou outra vamos tomar, então escolha sempre o zero açúcar.
Não coma cereais matinais açucarados, aqueles que vem em caixinhas. Faça você sua granola. Hoje é muito fácil de fazer uma granola saudável. Inclusive no Programa Emagrecer Transforma tem a receita de uma granola Low Carb que minha esposa faz em casa. É saborosíssima, deliciosa para comer com iogurte, ou salpicar com alguma fruta.
Você pode ainda encontrar pasta de amendoim ou geleia sem adição de açúcar, além de vários outros produtos. Por isso ter uma lista de substituições é muito interessante.
E tenha em casa os adoçantes mais saudáveis caso você precise adoçar algo. Eu sugiro o Eritritol, o Xilitol, a Taumatina ou a Estévia.

4- Faça você

Eu sei que muitos de vocês não conseguem fazer a própria comida, devido aos compromissos profissionais. Porém muitos outros conseguem, e se esse for seu caso, faça você. Faça a sua comida e da sua família. Além de um grande exercício de amor, você pode usar apenas ingredientes saudáveis.
Fazendo você a sua comida, mesmo que simples, você também estará diminuindo a quantidade de alimentos ultra processados. Que além de serem repletos de açúcar, também são cheios de conservantes e corantes, além de outros produtos químicos.
Então, faça a sua comida, e atenção, de sabor a ela. O grande segredo de um alimento que realmente te nutrirá, e fazer com sabor e com amor. Pense nisso, você merece.

Lembre-se sempre “é um dia após o outro”

A melhor estratégia, caso você e sua família estejam comendo muito açúcar e produtos com açúcar em sua composição, é entender o conceito de “um dia após o outro”.
Pequenas mudanças se somam, e quanto menos você espera, novos hábitos nasceram e foram sedimentados.
E isso é especialmente verdadeiro caso você tenha crianças em casa. Vai ser muito difícil radicalizar, excluir de uma vez tais produtos. E é provável que por pressão deles você irá ceder. Então seja realista, não bata de frente com os desejos de seus filhos, você vai perder. Entende?
Então dia a dia, vá trocando as bolachas recheadas, por cookies com pouco açúcar, até chegar naqueles que não possuem açúcar. Isso é só um exemplo.
Fique tranquila, vai ter muitos erros, tentando acertar. Mas como disse é um dia após o outro.

Há vida após o açúcar

Entenda que há vida após o açúcar. Uma vida sem açúcar é uma vida realmente saudável.
Lembre-se que o paladar muda com o tempo, mas também com novos hábitos alimentares. Eu sei que é difícil você gostar de sabores adocicados e de uma hora pra outra passar a não gostar mais de doce.
Não, não é isso! Não é isso que estou falando. Você vai continuar preferindo alimentos adocicados. Mas agora, ao invés de um alimento extremamente doce, você vai querer um doce menos doce, entende?
Agora, não se sinta fracassada caso você em uma viagem coma uma torta de chocolate. Quando isso se enquadra em um processo de exceção, não há porque se martirizar. Coma seu pedaço, mas coma consciente do que você está fazendo. E acima de tudo, pare aí. Pare após essa exceção. Não faça dessa exceção uma nova regra. Não tenha aquele pensamento sabotador, “ah, agora que eu comi mesmo, vou comer a torta inteira, o resto da semana e na segunda começo novamente”.
Esse é o grande erro das pessoas que emagrecem e voltam a engordar.

O que importa é estar melhor amanhã

Eu sempre digo, hoje melhor que ontem e pior que amanhã. Então a meta é ser melhor a cada dia. E melhor de uma forma geral, ampla e realmente efetiva. Desta forma, te digo com toda certeza, os pequenos passos conquistados dos os dias é o caminho para o sucesso. Você consegue sucesso, fazendo as pequenas coisas dos os dias, de modo consistente.
E certamente, entender que os deslizes não são o fim do mundo, não são o fim do seu processo de emagrecimento. E se você entender tudo que falei neste texto e aplicar no seu dia a dia, tenha certeza, amanhã você estará melhor do que hoje.

Não diga não às suas reais vontades

Entenda de uma vez por todas, se você quer comer, realmente quer comer, realmente esta com vontade, coma! E logo após, volte para o caminho. Isso é sinal de maturidade. Isso é ter consciência do que você está fazendo. Isso é deixar a vida te levar e sim agarrar as rédeas de sua vida.
Assim, se você viajou com seus filhos por exemplo, e tem aquela sorveteria maravilhosa, aproveite e tome um sorvete com eles. Lógico que também com consciência de sua escolhas, de seu objetivo e de sua meta. Você não precisa passar a viagem toda visitando a sorveteria, entende?
A vida é para ser vivida, e exceções podem ser feitas. Isso inclusive te fortalece, te mostra que você é capaz de falar sim na hora certa, e principalmente não nas horas erradas.

Tags: | | | |

Sobre o Autor

Samy Zenun
Samy Zenun

Olá, sou o Samy Zenun, médico, especialista em pessoas. Hoje tenho como missão ajudar as pessoas a melhorarem sua saúde e qualidade de vida. Acredito que com pequenas mudanças de hábito e atitudes, todas as pessoas podem melhorar sua saúde física e emocional. Deixe seu comentário e inscreva seu melhor e-mail para receber dicas sobre medicina, saúde, desenvolvimento humano, ciência e espiritualidade.