fbpx
Como a alimentação pode afetar a sua saúde mental

Alimentos com alto teor de açúcar podem fazer com que crianças fiquem super agitadas? A maioria dos pais acredita nisso, mas segundo o Beth Israel Deaconess Medical Center – um hospital universitário localizado em Harvard – vários estudos não conseguiram encontrar a ligação entre o açúcar e hiperatividade. Podemos dizer então que a ligação comida com o humor/saúde mental é um mito? Não é bem assim, ela é mais ligada com os sentimentos.

“A ligação entre emoções e comer não é um mito”, diz Sherry L. Pagoto, PhD, professora associada de medicina preventiva e comportamental da Escola de Medicina da Universidade de Massachusetts em Worcester. “As pessoas comem para se sentirem melhor, então o link está aí.”

1. Dieta pouco saudável e depressão

A exposição a longo prazo a uma dieta não saudável é um fator de risco para depressão, de acordo com os resultados de um estudo de 2014 publicado no jornal online PLoS One que analisou dieta e depressão em 3.663 pessoas. O que constituía uma dieta pouco saudável, para os fins do estudo, era aquela rica em açúcar e alimentos processados.

“Um dos sintomas usados ​​para diagnosticar a depressão é a mudança no apetite, então certamente pode haver uma ligação entre dieta e depressão”, diz Anil Malhotra, MD, diretor de pesquisa psiquiátrica do Hospital Zucker Hillside em Glen Oaks, N.Y.

2. Açúcar e Dependência Alimentar

A pesquisa também sugere uma ligação entre o açúcar e a alimentação viciante. Por exemplo, um estudo de 2012 publicado no International Journal of Eating Disorders descobriu que, de 81 pessoas obesas que buscavam tratamento para compulsão alimentar, 57% preenchiam os critérios para dependência alimentar. Os alimentos em que as pessoas eram viciadas eram ricos em gordura e açúcar.

“Não é surpreendente”, diz Pagoto. “Quando as pessoas desejam comer, elas não pegam palitos de cenoura. Doces e gorduras acionam os mesmos centros de prazer no cérebro que as drogas que causam dependência.”

3. A conexão açúcar e estresse

O estresse faz com que seu corpo busque o açúcar como combustível rápido para uma onda de energia, de acordo com a American Psychological Association.

“Pode ser por isso que muitas pessoas comem doces quando estão sob estresse”, diz Pagoto. “Ensinamos as pessoas a usar comportamentos saudáveis ​​para reduzir o estresse em vez de alimentos.

Uma das melhores maneiras de reduzir o estresse é com exercícios. Você pode começar a pensar nos exercícios não apenas como uma tarefa, mas como uma maneira de se sentir melhor.”

4. Açúcar no sangue e esquizofrenia

Um transtorno mental sério, como a esquizofrenia, pode estar relacionado ao açúcar no sangue? “O diabetes é mais comum em pessoas com esquizofrenia”, diz o Dr. Malhotra. “Existem alguns estudos mais antigos que sugerem uma ligação entre o metabolismo do açúcar e a esquizofrenia. O link não é forte, mas é possível.”

Temos como um exemplo um estudo de 2006 na revista Diabetes Care, que analisou a ligação entre o açúcar no sangue e a esquizofrenia. Nesse estudo, exames de sangue em 200 pessoas com esquizofrenia encontraram açúcar elevado no sangue em 7% e diabetes em mais de 14%.

5. Qualidade da dieta e saúde mental para adolescentes

Um estudo de 2014 com mais de 4.000 estudantes na Nova Zelândia descobriu que uma dieta de alta qualidade estava associada a uma melhor saúde mental e uma dieta de baixa qualidade estava associada a uma saúde mental precária. Os resultados foram publicados no European Journal of Clinical Nutrition.

“A ligação entre dieta e saúde mental provavelmente vai em ambos os sentidos”, diz Pagoto. “Se você tem problemas de saúde mental, pode ser mais difícil para você comer bem. Uma dieta pobre também pode contribuir para tais transtornos.”

6. Alimentação consciente para uma melhor saúde mental

“Comer alimentos ricos em açúcar para escapar do mau humor é chamado de comer emocional”, diz Pagoto. “Comer conscientemente é o antídoto para comer para escapar. Para comer conscientemente, você aprende a comer devagar, sem distração, e a saborear a experiência de uma alimentação saudável.

Pesquisas confirmam isso, como por exemplo em uma revisão de 21 estudos sobre alimentação consciente, publicada na revista Obesity Reviews em 2014, 86 por cento dos os estudos relataram menos compulsão alimentar e menos ingestão emocional quando práticas conscientes foram aplicadas.

Concluindo

A alimentação vai além de saciar a fome ou satisfazer uma necessidade básica, os alimentos que consumimos são extremamente importantes em todos os âmbitos da vida.

Por isso escolha com cuidado e carinho as suas refeições, lembre-se de que a saúde mental também é importante e cuide bem dela.

Sobre o Autor

Samy Zenun
Samy Zenun

Olá, sou o Samy Zenun, médico, especialista em pessoas. Hoje tenho como missão ajudar as pessoas a melhorarem sua saúde e qualidade de vida. Acredito que com pequenas mudanças de hábito e atitudes, todas as pessoas podem melhorar sua saúde física e emocional. Deixe seu comentário e inscreva seu melhor e-mail para receber dicas sobre medicina, saúde, desenvolvimento humano, ciência e espiritualidade.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *